Carteira diversificada: veja o que é e como montar a sua

Carteira diversificada veja o que é
beegin -invista em startups

Está entrando no mundo dos investimentos e gostaria de saber como proteger o seu capital e potencializar as suas chances de rentabilidade? Então você precisa saber o que é uma carteira diversificada e como montar uma pode ser positivo para os seus objetivos. 

Você provavelmente já ouviu a expressão “nunca coloque todos os ovos na mesma cesta”, não é mesmo? Pois esse ditado popular se encaixa perfeitamente na hora de pensar em investir o seu dinheiro para alcançar seus objetivos de curto, médio e longo prazos. Ou seja, nem só de renda fixa ou renda variável é feita uma carteira de investimentos. 

Criar uma carteira diversificada é uma forma interessante de aumentar os seus ganhos com rentabilidades variadas e proteger o seu investimento das oscilações do mercado, já que estará trabalhando com classes de ativos variadas. 

Mas você sabe o que é uma carteira diversificada e como criar uma? É sobre isso que esse artigo vai tratar. Vamos contar em detalhes tudo o que você precisa saber para começar hoje mesmo a estruturar seus investimentos de forma equilibrada e bem distribuída. 

Você vai aprender:

  • O que é uma carteira diversificada
  • Benefícios de uma carteira diversificada
  • Como montar uma carteira diversificada 

O que é uma carteira diversificada

Uma carteira diversificada é composta por investimentos em diferentes classes de ativos. Portanto, exposta a diferentes riscos e com rentabilidades diversas. 

Ou seja, pode existir uma distribuição dos aportes financeiros em opções de renda fixa, como CDBs, Tesouro Selic, LCI e LCAs. 

E também em ativos de renda variável, como ações da bolsa, ou ativos alternativos, como private equity, venture capital e ouro. Ou, até mesmo, uma carteira diversificada com ativos diferentes apenas de renda fixa, apenas de renda variável ou de alternativos. 

O ponto importante é que os investimentos estejam atrelados a diferentes indexadores, seja a inflação (IPCA), selic ou câmbio. E por que isso? Para que o seu capital não seja todo afetado, caso um deles apresente uma queda repentina, evitando assim uma perda considerável do seu dinheiro. 

Além disso, é interessante pensar em ter exposições a riscos variados, como diferentes mercados, diferentes moedas e setores. Assim como diferentes tipos de liquidez, com prazos de curta, média ou longa duração. Tudo isso com o objetivo de proteger o seu capital, mitigando a concentração a poucos riscos, consequentemente, potencializando as rentabilidades. 

Benefícios de uma carteira diversificada

O mercado econômico brasileiro é muito instável, sendo afetado por qualquer movimentação feita, tanto no cenário nacional quanto no internacional. Isso faz com que índices importantes para investimentos, como o Ibovespa ou a inflação, flutuem consideravelmente em um curto espaço de tempo. 

Pensando nisso, é importante que o investidor proteja o seu capital. Essas diferentes exposições podem fazer com que haja ganho mesmo quando parte dos indexadores esteja em um período negativo. 

Geralmente, investimentos são feitos com objetivos em mente. Esses objetivos são definidos com prazos diferentes e, para cada prazo estabelecido, existe um tipo de investimento que funciona melhor. 

Por isso, é interessante pensar em diversificar os investimentos tendo em mente esses diferentes objetivos. Afinal, se a sua meta é construir uma reserva de emergência, não faria sentido colocar todo o seu capital em um ativo de baixa liquidez, não é mesmo? 

Se o objetivo principal é a aposentadoria, já faria mais sentido apostar em ativos de baixa liquidez, mas com uma rentabilidade mais alta para o longo prazo. Afinal, a aposentadoria é para ser um momento de tranquilidade. 

Por isso, é importante ter em mente qual o objetivo e qual o seu prazo. Quanto maior a liquidez, menor a rentabilidade e quanto menor a liquidez, maior a rentabilidade. Essa informação é essencial para a criação de uma carteira equilibrada, aumentando as chances dos seus investimentos serem um meio de sucesso para atingir seus objetivos.

Como montar uma carteira diversificada

Existem alguns passos importantes a serem seguidos na hora de montar uma carteira diversificada. Veja a seguir o que é preciso fazer para ter a sua. 

1) Faça a sua reserva de emergência

Antes de começar a pensar em como distribuir o seu capital entre renda fixa e renda variável, é preciso criar a sua reserva de emergência. 

Para isso, será preciso escolher um ativo de renda fixa com liquidez diária para alocar cerca de seis meses do seu custo de vida fixo. Com esse valor guardado, você tem a segurança necessária para começar a explorar o mundo dos investimentos. 

2) Conheça seu perfil de investidor

Saiba que tipo de investidor você é. Para isso, é preciso entender qual o seu nível de tranquilidade na exposição ao risco. Existem três perfis de investidor. São eles:

  • Investidor conservador: esse é o investidor que não gosta de se expor muito a riscos, não lida bem com a perda momentânea de dinheiro e prefere a segurança e estabilidade. Por isso, aloca a maior parte em renda fixa e uma parte menor em renda variável. 
  • Investidor moderado: é o investidor que já começa a ter mais apetite pelo risco e entende que grandes ganhos com investimentos passam por abordagens mais arrojadas e ousadas, com uma distribuição menos conservadora da carteira. Explora bem tanto a renda fixa quanto a variável e começa a destinar uma parcela pequena para investimentos alternativos, com visão de longo prazo.
  • Investidor agressivo: é o investidor que gosta de se expor ao risco e lida bem com as oscilações naturais do mercado. Entende que precisa investir em ativos diferentes, com rentabilidades convidativas e baixa liquidez para potencializar o seu retorno. A tendência é alocar uma parte representativa da carteira em renda variável e investimentos alternativos e aplicar em renda fixa para sua reserva de emergência e para seus objetivos de curto prazo.  

3) Defina seus objetivos

Também é importante entender qual é o objetivo com esse investimento. Se a ideia é fazer uma viagem, então o recomendado é escolher ativos com vencimento próximo e alta liquidez, como alguns dos principais ativos de renda fixa, para que você possa acessar o dinheiro facilmente. 

Se você pretende trocar de carro ou comprar um novo, já pode olhar para ativos com um potencial maior de retorno no médio prazo, mas com alta liquidez, como as ações em bolsa de valores, por exemplo.

Agora, se o seu objetivo já é mais de longo prazo, como a entrada de um imóvel ou seu aposentadoria, então já é possível escolher ativos com uma expectativa de rentabilidade maior, mas com baixa liquidez. Os investimentos alternativos possuem essas características.  

4) Adquira conhecimento

O mundo dos investimentos é bastante amplo e tem muitas opções. Por isso, é essencial que você busque conhecimento para entender melhor sobre cada tipo de ativo, os benefícios da renda fixa, da renda variável e dos ativos alternativos e quais são mais interessantes para os seus objetivos. 

Como vocês sabem, não há investimento sem risco e o principal mitigador dos riscos é o conhecimento, para que você faça suas escolhas com o máximo de informações possíveis e de forma consciente e planejada.

Seguindo os passos acima, fica mais fácil definir como distribuir sua carteira nas classes de ativos e quais ativos escolher considerando qual o objetivo de cada investimento, qual sua propensão aos riscos e o quanto você conhece sobre as oportunidades disponíveis no mercado.

A montagem dessa carteira pode ser feita de forma independente, abrindo conta em uma corretora de valores ou usando o seu próprio banco para fazer os aportes nos investimentos escolhidos. 

Também é possível contratar um assessor de investimentos, que irá entender o seu perfil de investidor e recomendar ativos que estejam de acordo com as informações que você fornecer a ele.  

Seja sócio das empresas do futuro com a beegin.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.