Crowdfunding Imobiliário ou FII? Conheça as diferenças para diversificar seu portfólio

Tradicionalmente, o investimento imobiliário está entre os mais atrativos, tanto em longo quanto no curto prazo. No primeiro caso, ele se beneficia da tendência de valorização dos ativos. O segundo é favorecido pelo seu potencial para geração de renda.

Entre as modalidades disponíveis, está o crowdfunding imobiliário. Trata-se de uma opção de investimento alternativo para quem tem interesse no setor imobiliário. Embora em processo de divulgação, ele traz vantagens importantes que o tornam boa escolha para diversificação do portfólio dos investidores. Confira no artigo!

Crowdfunding Imobiliário ou Fundo de Investimento Imobiliário

Crowdfunding Imobiliário é uma modalidade de investimento em que investidores adquirem títulos de dívida emitidos por construtoras ou empreiteiras de modo a captar recursos e financiar empreendimentos imobiliários.

O que caracteriza essa modalidade é a transação ser realizada em meio digital, com o apoio de uma plataforma de investimentos. Enquanto isso, o Fundo de Investimento imobiliário é uma modalidade em que investidores compram cotas de participação na carteira de um fundo. Assim, eles se beneficiam dos rendimentos e da valorização dessa carteira, na proporção da sua participação.

Em comum, as duas modalidades são vinculadas ao mesmo setor da economia real. Porém, é indispensável entender as diferenças entre elas para escolher a mais adequada dentro de uma estratégia de investimento coerente.

Escolha dos empreendimentos

Na modalidade de crowdfunding imobiliário, o investidor tem total controle sobre a escolha dos empreendimentos que vão ser financiados com seu capital. Enquanto isso, no Fundo de Investimento imobiliário, essa decisão é delegada ao gestor do fundo, profissional do mercado financeiro.

Por um lado, essa diferença pode representar maior potencial de sucesso dos investimentos em FIIs, nos quais um especialista toma as decisões. Por outro, representa maior autonomia aos investidores de crowdfunding imobiliário.

Rentabilidade

Os fundos de investimento imobiliário oferecem rentabilidade imediata, pois fazem a distribuição mensal de proventos aos cotistas. Uma porcentagem dos lucros apurados pelo fundo mês a mês são distribuídos por cota. Assim, quanto mais cotas o investidor detém, maior a rentabilidade.

Por outro lado, a rentabilidade obtida com crowdfunding imobiliário está associada aos títulos adquiridos na plataforma de investimentos. Por isso, é preciso analisar a rentabilidade de cada título, antes de escolher em quais aplicar seu capital.

Em geral, esses títulos oferecem retorno a longo prazo. Vale a pena notar que os fundos imobiliários são uma modalidade de renda variável. Portanto, sua rentabilidade depende de um complexo conjunto de fatores.

Entretanto, os títulos negociados em crowdfunding imobiliário são de renda fixa. A rentabilidade deles é previsível, associada a fatores objetivos, como taxa prefixada ou índice.

Forma de investimento

Cotas de fundos são ativos listados na bolsa de valores. Para investir em fundos imobiliários, é necessário ter conta em uma corretora de valores mobiliários. Com ohome broker, é possível colocar ordens de compra e venda das cotas.

Esses são considerados ativos de alta liquidez, pois é fácil reduzir ou encerrar sua posição a qualquer momento. Por outro lado, para investir em crowdfunding imobiliário, é preciso ter cadastro em uma plataforma de investimentos.

Elas oferecem o canal de contato entre investidores e oportunidades de investimento. A escolha de uma boa plataforma é fundamental. As melhores opções incluem diferenciais, como curadoria de investimentos.

Elas vão além da triagem burocrática para fazer uma avaliação de fundamentos e garantir que apenas os empreendimentos mais promissores entrem na plataforma.

Perfil do investidor

Além das diferenças entre crowdfunding imobiliário e Fundo de Investimento Imobiliário, é importante considerar as diferenças entre perfis de investidor mais compatíveis com cada modalidade.

Como dito anteriormente, o FII é uma alternativa de renda variável, enquanto os títulos negociados no crowdfunding imobiliário são de renda fixa. Porém, isso não significa necessariamente que o crowdfunding oferece menor risco ou é mais adequado para investidores de perfil conservador.

Como os fundos têm carteiras, eles são ativos diversificados em si mesmos. Ou seja, se um dos empreendimentos nos quais o FII investe tiver má performance, o impacto sobre o FII  será limitado na totalidade — até mesmo ao investidor cotista.

Enquanto isso, no crowdfunding imobiliário, o capital é aplicado em empreendimentos escolhidos pelo investidor. Assim, se algum desses empreendimentos tiver default nos títulos — isto é, não pagar o rendimento prometido —, o investidor sente os efeitos de forma bem mais direta.

Objetivos do investidor

As diferenças na rentabilidade entre crowdfunding imobiliário e FIIs se refletem na indicação para cada tipo de objetivo.

Investidores com objetivos de curto prazo podem se beneficiar mais dos fundos imobiliários que distribuem proventos mensalmente.

Enquanto isso, investidores com objetivos de longo prazo podem ter melhor compatibilidade com o crowdfunding imobiliário, que paga os rendimentos no final do prazo de vencimento do título, podendo chegar a vários anos.

Disponibilidade de capital

Para finalizar a comparação entre crowdfunding imobiliário e FIIs, outro fator que pode determinar a melhor opção é a disponibilidade de capital do investidor.

Cotas de fundos imobiliários são negociadas na bolsa por valores que variam entre dois e três dígitos, geralmente. Por isso, elas são consideradas acessíveis. Ainda assim, para ter retorno significativo, é preciso comprar um volume considerável de cotas.

Enquanto isso, os títulos de dívida emitidos por construtoras, empreiteiras e negociados em plataformas de investimento costumam exigir capital mínimo mais elevado. Para adquirir esses papéis, o investimento mínimo geralmente está na casa dos milhares de reais.

Para saber mais sobre crowdfunding imobiliário e como ele se diferencia de outras modalidades de investimento, o próximo passo é assinar a newsletter da beegin e receber outros conteúdos exclusivos.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.