Um Guia sobre a Economia Real para você começar a investir

Guia da economia real
beegin -invista em startups

Nos últimos anos, o brasileiro desenvolveu mais interesse e conhecimento sobre o mercado financeiro. Para aqueles que têm maior patrimônio investido e experiência, essa evolução significa que os ativos tradicionais já foram explorados e é hora de avançar para novos terrenos, buscando investimentos alternativos. Essa categoria inclui o que chamamos de ativos da economia real.

Os ativos da economia real tratam-se de investimentos que oferecem mais do que apenas ganhos financeiros. Eles também ajudam a dinamizar a economia e fazem a diferença para o meio, pois possibilitam financiar o avanço de negócios que têm como core business solucionar desafios da sociedade e resolver problemas reais.

O brasileiro deu largos passos na jornada para melhorar sua relação com o mercado financeiro, e agora está iniciando uma nova fase nesta jornada rumo aos investimentos alternativos.

Portanto, informar-se melhor sobre essa opção é fundamental para investidores que querem diversificar sua carteira, otimizar seus resultados e, ainda, apoiar iniciativas com impacto na economia real.

O que são Investimentos Alternativos

Antes de mais nada, já estabelecemos que os ativos da economia real estão dentro de uma categoria mais abrangente, que são os investimentos alternativos. Esse não é um nome genérico, mas sim uma classe de ativos formal.

Os ativos agrupados nesta classe apresentam certas características em comum, como o alto potencial de retorno, os longos prazos de saída e a baixa liquidez. Outra característica importante é o nível de risco, mais elevado do que nos ativos tradicionais.

Por isso, as oportunidades listadas são mais indicadas para investidores que já tenham um patrimônio investido, são experientes e têm perfil ousado.

Os investimentos alternativos não são listados em bolsa. Mesmo assim, eles são regulados pela legislação e pelas normas dos órgãos competentes, como CVM e Banco Central.

O que é economia real

Economia real é o grupo de atividades econômicas que estão mais diretamente relacionadas com a geração de riqueza, emprego e renda. Essas atividades fazem a economia girar por meio da produção, circulação e consumo de bens e serviços.

O que fica de fora dessa categoria, então, são as atividades puramente financeiras. Aquelas atividades em que dinheiro gera dinheiro. 

Na economia real, participam empresas que empregam e produzem, e famílias, que trabalham e consomem. As empresas empregam profissionais para produzir bens e serviços. As famílias trocam seu trabalho por um salário, com o qual elas consomem esses bens e serviços.

Por isso, as atividades da economia real geram riqueza (na forma de bens e serviços), como emprego e renda para a sociedade.

O que são ativos da economia real

Quais são os ativos da economia real? Em quais ativos um investidor que busca impactar a economia e a sociedade pode aplicar seu capital?

Existem inúmeras opções, em vários setores e segmentos. Alguns exemplos são os setores de agronegócio, imobiliário, energia renovável, saneamento, saúde, educação, turismo e até entretenimento.

Como os ativos da economia real funcionam na prática

Para investir em ativos da economia real, como já visto, este precisa ser vinculado a uma operação financeira. A maneira de realizar o investimento varia conforme o tipo de ativo e o mecanismo em questão.

Por exemplo, pode ser estruturada uma operação por meio da qual os investidores adquirem participação em um ativo imobiliário, cujo retorno está vinculado às vendas do empreendimento imobiliário que será desenvolvido.

Ou então, um serviço baseado em receita recorrente, como geradores de energia renovável ou aluguel de escritórios, pode emitir títulos lastreados em uma parcela desta receita, por meio da qual o investidor receberá o retorno do seu investimento.

Esses ativos financeiros lastreados em projetos da economia real podem ser negociados por fundos de investimento, como Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FDICs) e Fundo de Investimento em Participações (FIPs), ou por uma plataforma de equity crowdfunding regulada por meio da Resolução 88/2022.

Vantagens dos ativos da economia real

Impacto na sociedade

A vantagem de maior destaque de investir em ativos da economia real, inevitavelmente, é seu impacto na sociedade. Apoiar uma empresa de maneira direta ajuda a fazer a economia girar: empregar mais pessoas, distribuir mais renda, produzir mais riquezas.

No entanto, naturalmente, investidores também estão interessados em obter retorno pelos recursos que aplicam. E, nesse ponto, esses ativos também apresentam uma vantagem importante.

Proteção contra volatilidade de mercado

Ao investir em negócios, com foco em longo prazo, os efeitos das oscilações de curto prazo do mercado financeiro são menos sentidos.

Investidores de bolsa de valores estão sempre observando as altas e baixas dos papéis, para decidir quando entrar ou sair. Para os investidores de ativos da economia real, essas altas e baixas não são tão relevantes. O que realmente interessa é o desempenho, ao longo dos anos, da empresa que decidiram financiar.

Maior potencial de retorno

Esses investimentos são responsáveis por fomentar negócios, proporcionando maior giro econômico e aumentando as chances de evolução e expansão do modelo de negócios. Assim, no longo prazo, o investidor pode ver seus ganhos serem multiplicados.

Além disso, uma carteira diversificada deve conter um mix de ativos com diferentes correlações. Por exemplo, há ativos correlacionados com juros, e outros com a oscilação da bolsa. Os investimentos na economia real não apresentam esta mesma correlação, por isso eles não seguem a oscilação de outros mercados, como o de ações ou de renda fixa.

Alguns setores promissores da economia real

Determinar quais são os setores mais promissores da economia real exige uma análise da sociedade, suas necessidades e demandas. Afinal, a economia é orgânica e dinâmica. Além disso, como muitos fatores afetam o desempenho dos setores, nem sempre há um consenso sobre quais são mais promissores.

Veja alguns exemplos de setores promissores: 

  • mercado imobiliário: o setor vem passando por uma recuperação após a pandemia, com o ritmo de lançamentos residenciais e comerciais retomando aos patamares pré covid-19. Com a expansão do e-commerce, galpões logísticos também estão ganhando força;
  • energia sustentável: beneficiado pela tendência de busca por alternativas para reduzir a emissão de gases do efeito estufa e reverter o impacto climático das atividades humanas;
  • transporte: beneficiado pela nova cultura do compartilhamento e a necessidade de melhor logística para levar os produtos com rapidez ao consumidor. Um dos grandes responsáveis por essa necessidade é o aumento do volume de transações online;
  • agronegócio: beneficiado pelo seu caráter de essencialidade. Seus produtos não apenas são fundamentais para o consumo direto das famílias como, também, são a base para a produção das mais diversas indústrias.

Na hora de determinar quais são os setores mais promissores da economia real, é importante avaliar tendências duradouras, e não apenas o momento atual. Afinal, o investimento nos ativos dessa economia também tem um caráter de longo prazo.

Como encontrar bons ativos da economia real para investir

Um dos maiores desafios para o investidor é encontrar boas oportunidades para investir em ativos da economia real. Afinal, nem sempre existe um canal simples de contato entre os investidores e as empresas. Por isso, soluções que viabilizam essa ponte são aliadas de valor.

Atualmente, existem plataformas especializadas em criar um ecossistema que conecta investidores e empresas, são as plataformas de equity crowdfunding. Regulamentadas pela Instrução CVM 588, elas beneficiam todos os envolvidos com um valor de investimento inicial mais acessível, permitindo maior acesso a oportunidades promissoras. Por um lado, elas dão mais visibilidade aos negócios que precisam de aporte financeiro; por outro, ajudam o investidor a identificar potenciais histórias de sucesso das quais ele pode querer fazer parte.

Um aspecto positivo dessas plataformas é, justamente, a triagem prévia. As empresas precisam fornecer uma série de informações para comprovar que atendem aos critérios e, só então, completar seu cadastro.

Além disso, as melhores soluções disponíveis no mercado contam com uma equipe de curadoria. Ela é composta por profissionais que fazem uma análise e seleção ainda mais minuciosa das empresas que poderão entrar no ecossistema. Dessa maneira, o nível de risco para o investidor é reduzido.

Outra vantagem de trabalhar com uma plataforma de investimentos é a redução na burocracia do próprio processo de investimento. Afinal, ele pode ser concretizado online, de uma maneira ágil e conveniente.

Conhecer os ativos da economia real abre uma nova porta para um mundo de opções que não existem nos bancos ou na bolsa de valores. Para os investidores mais experientes e ousados, essa é uma excelente oportunidade de diversificação e de maximização dos retornos em longo prazo.

Quer ter acesso a outros conteúdos exclusivos sobre mercado financeiro para investidores sofisticados? Então, assine a newsletter da beegin.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.