Ecossistema de inovação e sua importância

Ecossistema de inovação

Em torno das startups se articula o que é conhecido como ecossistema de inovação. Trata-se de uma rede na qual participam diferentes players que se relacionam com essas empresas, inclusive os investidores de venture capital.

Neste artigo vamos aprofundar sobre o que são os ecossistemas de inovação, como eles fomentam o surgimento e o crescimento de startups e unicórnios, e porque os investidores se conectam a essas redes para identificar oportunidades.

O que são os ecossistemas de inovação

O conceito de ecossistema de inovação surgiu a partir dos estudos sobre os diferenciais competitivos do Vale do Silício, que se tornou o principal polo tecnológico dos Estados Unidos a partir dos anos 1990. Autores como a economista Annalee Saxenian, em Regional Advantage: Culture and Competition in Silicon Valley and Route 128, identificaram uma estrutura em rede entre as diferentes empresas, universidades, investidores e fornecedores como o segredo do crescimento da região.

Esta articulação em rede recebeu o nome de ecossistema. Baseados na ecologia, autores como Ron Adner, em seu ensaio Match Your Innovation Strategy to Your Innovation Ecosystem, publicado na Harvard Business Review em 2006, definiram um ecossistema de inovação como “os arranjos colaborativos por meio dos quais as empresas combinam suas ofertas individuais em uma solução coerente voltada para o cliente”.

Ou seja, um ecossistema de inovação funciona como uma rede que articula não só os empreendedores e suas startups, mas também grandes empresas, grupos de investidores anjo, corporate venture capital, universidades, instituições governamentais, coworkings e outros agentes de mercado, por meio dos quais circulam ideias, tecnologias, inovações e profissionais.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento lista sete pilares principais de um ecossistema de inovação:

  • Talento: disponibilidade de profissionais qualificados para atuar com tecnologia;
  • Cultura: ambientes abertos e horizontais com cultura de inovação;
  • Densidade: quantidade e qualidade das redes de relacionamento entre os agentes;
  • Ambiente regulatório: leis e regras que favorecem o surgimento de modelos de negócios inovadores;
  • Acesso a mercado: clientes dispostos a consumir produtos e serviços inovadores;
  • Diversidade e impacto: capacidade de combinar diferentes perspectivas, histórias de vida e visões de mundo;
  • Capital: investidores individuais e institucionais com teses de investimento focadas em inovação.

Nessas redes, a troca de experiências, ideias, informações e conhecimentos é tão intensa que as empresas nascidas neles conseguem ser mais assertivas no product market fit, acessar investimentos mais rapidamente e podem até atingir o status de unicórnio.

Além do Vale do Silício, este mesmo padrão em rede se encontra em outras cidades pelo mundo, como Nova York e Austin (Estados Unidos), Tel Aviv (Israel), Mumbai (Índia), Londres (Reino Unido) e outros

Os principais ecossistemas de inovação do Brasil

No Brasil algumas cidades se destacam como os principais celeiros de startups.

São Paulo

O maior ecossistema de inovação do país, com mais de duas mil startups mapeadas pela ABStartups, São Paulo se beneficia pela alta concentração de capital e mercado, além da cultura mais cosmopolita e aberta à inovação. A cidade também concentra grande parte dos grupos de anjos e gestoras de venture capital, além de grandes aceleradoras como a ACE Startups.

Florianópolis

A capital de Santa Catarina foi um dos primeiros ecossistemas brasileiros a se destacar, articulando-se em torno de estruturas como a ACATE (Associação Catarinense de Tecnologia) e a Fundação Certi. Na cidade nasceram plataformas relevantes de marketing, como a RD Station, a GrowthHackers Workflow e a Exact Sales.

Belo Horizonte

Também conhecido como San Pedro Valley, teve um forte impulso por conta do SEED, programa de aceleração de startups fomentado pelo governo estadual. A cidade abriga grandes startups brasileiras, como Hotmart, Méliuz e Rock Content.

Recife

Graças ao Porto Digital, parque tecnológico fundado em 2000, a cidade de Recife se tornou o principal ecossistema de inovação do Nordeste brasileiro, com uma rede local relevante de investidores e empreendedores.

Rio de Janeiro

Um dos primeiros ecossistemas de inovação brasileiros, onde nasceram startups como Bemobi e Peixe Urbano, permanece sendo um polo relevante de inovação, com a atuação de aceleradoras como a Sai do Papel.

Ecossistema de inovação e venture capital

Para os investidores de venture capital, estar inserido em um ecossistema de inovação é uma forma de acessar oportunidades de investimento. Nos diversos eventos realizados em uma comunidade, como demo days e meetups, os investidores conseguem descobrir startups relevantes para analisar e investir.

E se você quer aprender como avaliar uma startup para investir, faça os cursos de venture capital da Solum.ed.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.