ESG: descubra porque esta tendência está crescendo

ESG

Se você acompanha o mundo dos investimentos nos últimos anos, com certeza já se deparou com as três letras ESG. Sigla da expressão em inglês “Environmental, Social and Corporate Governance”, ela tem servido para classificar investimentos em projetos com boas práticas sociais, ambientais e de governança corporativa.

O ESG é a versão mais recente do movimento do mercado financeiro para destacar as empresas comprometidas com objetivos de impacto social e ambiental. Em 2005, a Bovespa lançou o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), baseado em uma carteira de empresas selecionadas de acordo com critérios de sustentabilidade.

Mais recentemente, em 2010, foi lançado o Índice Carbono Eficiente (ICO2), com empresas avaliadas de acordo com a transparência sobre as emissões de carbono e suas metas para reduzi-las.

O que é uma estratégia ESG

Uma estratégia ESG é aquela que incorpora boas práticas nos pilares social, ambiental e de governança corporativa, alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Neste aspecto, é fundamental que essas práticas estejam atreladas à estratégia de negócios da empresa, e não sejam apenas medidas pontuais.

Práticas Ambientais

Entre os exemplos de práticas ambientais, podemos listar o monitoramento das emissões de carbono e a adoção de medidas de redução ou mitigação das mesmas. Projetos de eficiência energética, economia circular, tratamento de efluentes, preservação e recuperação de matas nativas são outras medidas consideradas neste pilar.

Práticas sociais

No pilar social, são consideradas medidas voltadas ao lado das relações humanas. Entre elas, podemos listar o monitoramento e combate ao trabalho análogo ao escravo, políticas de diversidade e desenvolvimento da cadeia de valor.

Práticas de governança corporativa

No pilar da governança, destacam-se os compromissos de ações de ética, combate à corrupção e proteção dos interesses dos investidores minoritários.

Quais são os critérios ESG

O principal critério para avaliação de uma prática ESG são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) e promovidos no meio corporativo pelo Pacto Global da ONU.

São 17 objetivos, que fazem parte da chamada Agenda 2030, por meio da qual os países e empresas buscam melhorar indicadores ambientais, sociais e econômicos:

  1. Erradicação da pobreza;
  2. Fome zero e agricultura sustentável;
  3. Saúde e bem estar;
  4. Educação de qualidade;
  5. Igualdade de gênero;
  6. Água potável e saneamento;
  7. Energia limpa e acessível;
  8. Trabalho decente e crescimento econômico;
  9. Indústria, inovação e infraestrutura;
  10. Redução das desigualdades;
  11. Cidades e comunidades sustentáveis;
  12. Consumo e produção responsáveis;
  13. Ação contra a mudança global do clima;
  14. Vida na água;
  15. Vida terrestre;
  16. Paz, justiça e instituições eficazes;
  17. Parcerias e meios de implementação.

A Anbima está criando uma classificação para fundos de investimento cujas teses são voltadas a investimentos sustentáveis. A entidade também trabalha na criação de regras para as gestoras de produtos de investimento ESG. A previsão é que essa classificação seja lançada em 2022.

ESG e investimentos alternativos

O mercado de investimentos alternativos, especialmente o de venture capital, tem sido pródigo no desenvolvimento de produtos financeiros baseados nos critérios ESG. Aceleradoras e fundos de projetos de impacto têm ganhado destaque no mercado. Um exemplo é o programa Inovativa de Impacto, uma iniciativa do Sebrae e do governo brasileiro, que busca desenvolver startups e scale-ups com negócios de impacto social e ambiental, e conectá-las a investidores.

De acordo com estudo da Bain & Company, o número de fundos comprometidos com critérios ESG chega a 80% do total do mercado europeu, 55% na Ásia e 45% nas Américas. O valor alocado em projetos com este perfil chega a US$ 260 bilhões nas Américas, US$ 190 bilhões na Europa e US$ 184 bilhões na Ásia.

Nos cursos de investimentos alternativos da Solum.ed, você pode aprender como analisar uma oportunidade de investimento com este perfil, e como acessar os fundos e gestoras que adotam este critério em suas teses.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.