FIIs: o que são fundos imobiliários e como investir neles?

FIIs fundos imobiliários

Ter imóveis físicos é uma opção bastante usada por investidores que buscam meios de ter uma renda recorrente. Mas agora também é possível obter esses ganhos por meio dos fundos imobiliários, também conhecidos como FIIs. 

Esses fundos têm ganhado cada vez mais espaço porque tornam o processo de investir em imóveis menos burocrático e permitem a entrada com um valor inferior ao da compra de uma casa ou apartamento, por exemplo. 

Entender como esses fundos imobiliários funcionam pode ser importante para identificar se combinam com o seu perfil de investidor e se fazem sentido para o seu portfólio de investimentos

O que são fundos imobiliários?

Os fundos imobiliários são uma modalidade de fundos de investimentos focados em imóveis. Funcionam como um condomínio em que um grupo de investidores se reúne para alocar seu capital em imóveis usados para diferentes modalidades, ou até mesmo em papéis que fazem parte do mercado imobiliário

O capital levantado pelos investidores é usado para a construção ou aquisição de imóveis, locação ou arrendamento. Todos os ganhos registrados nessas operações são distribuídos entre os cotistas, de acordo com a quantidade de cotas que cada um tem. 

Ao contrário da compra de um imóvel, que envolve valores mais elevados e toda a parte burocrática com documentação, impostos e outros pontos, nos fundos imobiliários é possível começar a investir com R$ 100 e também comprar cotas ou partes de um fundo imobiliário. Isso torna o processo mais fácil. 

Os fundos são compostos por um gestor que tem a responsabilidade de reunir os recursos aportados pelos investidores e escolher os melhores ativos para investir o dinheiro. É papel do gestor do fundo tocar a parte burocrática do processo. 

Tipos de fundos imobiliários

Os fundos imobiliários são classificados em dois tipos principais: fundos de tijolo e fundos de papel. É importante entender a diferença entre eles.

Fundos de tijolo

Ao optar pelo fundo de tijolo, o investidor usa seu capital para investir em ativos reais, como shopping centers, faculdades, galpões, armazéns, hospitais, agências bancárias, faculdades, entre outros. 

Esse modelo de fundo é conhecido por realizar pagamentos mensais aos seus cotistas, gerando uma renda recorrente de acordo com o total de cotas adquiridas. 

Fundos de papel

Nos fundos de papel, o capital é usado para investir em papéis que estão ligados ao mercado imobiliário, como as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI). 

Como investir em FIIs? 

Para investir em fundos imobiliários, é preciso abrir conta em uma corretora de valores. Esse passo é necessário para comprar cotas de fundos que são negociados na bolsa de valores, seja na operação tradicional ou no mercado de balcão organizado da B3. 

Após abrir conta em uma corretora, é preciso estudar os fundos disponíveis e entender qual deles faz sentido para a diversificação da sua carteira e qual deles atende suas necessidades de investimento. 

Após essa análise cuidadosa, é preciso comprar as cotas do fundo escolhido. Na negociação da bolsa, os fundos são identificados por um ticker, assim como as ações. Elas são compostas por quatro letras maiúsculas e dois números. Se forem negociadas no mercado de balcão, ainda têm a letra B no final do código. 

É importante buscar informações sobre os fundos imobiliários em locais confiáveis para garantir que você tem os dados que precisa antes de entrar no investimento, que oferece seus riscos como é natural em ativos de renda variável.

E como o conhecimento se tornou um diferencial dos investidores de sucesso, entenda como as casas de análise independentes ganharam força ao ajudar as pessoas físicas a investirem melhor.  

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.