Fundo previdenciário e sua importância para o longo prazo

Fundo previdenciário
beegin -invista em startups

Você sabia que pode escolher um tipo de investimento que irá reforçar sua aposentadoria e diminuir sua dependência do sistema público? O fundo previdenciário é um ativo que pode complementar a sua aposentadoria e garantir um futuro mais tranquilo. 

Com a expectativa de vida do brasileiro cada vez maior, de 76,6 anos de acordo com o último censo do IBGE, fica mais desafiador para o sistema previdenciário público dar conta de garantir a aposentadoria de toda a população. 

Por isso, é importante conhecer alternativas para diversificar seus investimentos e que possam gerar uma renda para manter seu padrão de vida quando a hora de se aposentar chegar. 

O que é fundo previdenciário

O fundo previdenciário é um fundo de investimento atrelado a planos de previdência complementar. Eles são oferecidos por seguradoras com o objetivo de garantir uma aposentadoria ao investidor, sem que ele dependa do INSS para isso. O plano de previdência pode ser utilizado para a realização de objetivos de longo prazo, como o ensino superior dos filhos, viagens ou compra de imóveis.

Esse investimento é dividido em duas fases importantes: acumulação de recursos e recebimento do benefício acumulado ao longo do tempo. 

Ou seja, no começo, é preciso realizar aportes para acúmulo de capital no fundo previdenciário. Depois que o tempo e os juros compostos agirem, é hora de começar a receber o retorno do valor investido. 

E esse retorno pode ser feito de formas diferentes: resgate integral do valor, renda mensal por um tempo determinado ou até mesmo uma renda vitalícia. 

Os fundos previdenciários são regulados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), responsável pelos planos de previdência complementar aberta. As entidades de previdência complementar fechada, conhecidas como fundos de pensão, são reguladas pela Superintendência de Nacional de Previdência Complementar (Previc)

Tipos de fundo previdenciário

Os fundos previdenciários são divididos em dois tipos principais: o fundo de investimento especialmente constituído (FIE), e o fundo com patrimônio segregado. No caso do FIE comum, os cotistas são as seguradoras e entidades de previdência complementar. Já no caso do fundo com patrimônio segregado, os segurados são os cotistas diretos do fundo.

Há dois tipos de planos de previdência: o Vida Gerador de Benefícios Livre (VGBL) e o Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL).

A principal diferença está na forma de tributação. No caso do VGBL, o imposto incide sobre o lucro em cima do valor investido. 

Já no caso do PGBL, o imposto incide sobre o montante total, ou seja, o valor investido e seu lucro. Um ponto importante sobre o PGBL é que é possível deduzir até 12% da renda tributável acumulada no ano. Essa opção é indicada para quem paga imposto de renda na fonte e faz a declaração completa. 

Taxas do fundo previdenciário

Existem três tipos principais de taxas para o investimento em um fundo previdenciário: 

  • Taxa de administração: cobrada pela gestão do investimento, podendo variar de 1% a 5%;
  • Taxa de carregamento: taxa que pode ser feita sobre as contribuições ao plano de previdência;
  • Taxa de saída: taxa cobrada sobre o valor resgatado. 

Com uma concorrência cada vez maior, essas taxas tendem a ter um valor mais competitivo. Por isso, é essencial fazer uma boa pesquisa antes de escolher o fundo, não só pela taxa, mas também pelo conhecimento dos gestores do fundo para fazerem boas escolhas. 

Quer entender ainda mais sobre o mercado financeiro? Então fique sempre de olho nos conteúdos gratuitos e cursos de investimento oferecidos pela Solum.ed

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.