Healthtech ganha força no mercado

Também conhecidas como startups da área da saúde, as empresas de healthtech fazem parte de um nicho de mercado que tem atraído cada vez mais atenção. A intenção dessas  organizações é promover melhorias no setor médico por meio de novas tecnologias e métodos inovadores.  

Com uma ampla gama de atuação, as healthtechs trabalham na modernização no setor da saúde. Tentam trazer avanços tecnológicos para hospitais, clínicas e consultórios.

É um modelo de negócios que prioriza a inovação, a escalabilidade e a facilidade de replicação de ideias.

Entre as tecnologias utilizadas por essas empresas estão: 

São chamadas de “unicórnios” as empresas com avaliação de mercado superior a U$ 1 bilhão.

Durante a pandemia de Covid-19 o segmento tem conseguido muito espaço. Apenas durante o período, o mercado registrou um aumento de 118%. De acordo com o levantamento Distrito Healthtech Report, o número de empresas na área saltou de 248 em 2018 para 747 em 2021. As soluções relacionadas à gestão e prontuários eletrônicos em particular cresceram bastante, aproximadamente 25%. 

Qual o propósito de uma healthtech?

Healthtechs tem a intenção de humanizar e facilitar os cuidados médicos, agilizando o tratamento e priorizando o conforto do paciente. Elas tentam otimizar sistemas de prevenção, gestão e serviços no ramo da saúde.

As empresas podem ainda ajudar no desenvolvimento de tecnologias para procedimentos cirúrgicos. Atuam nas áreas da medicina: personalizada, preditiva, proativa e preventiva.

Healthtechs tem trazido benefícios para a saúde, atraindo investimento e acelerando mudanças na área. 

Essas inovações podem trazer a redução do tempo de atendimento e de espera para o recebimento de diagnósticos; instrumentos cirúrgicos avançados;  mais procedimentos menos invasivos e gestões mais eficientes.

Inovações trazidas por healthtechs

Um dos exemplos de avanços proporcionadas por  healthtechs é a telemedicina. Uma realidade consumada no Brasil que tende apenas a crescer. 

Consultas online proporcionam exames e análises menos invasivas. Essa modalidade de atendimento tem encontrado espaço no mercado e colhido frutos.

Plataformas de educação sobre saúde promovem uma maior democratização no serviço de saúde, enquanto novos estudos genéticos podem calcular a possibilidade de pacientes adquirirem certas enfermidades. Evoluções trazidas por essas empresas estão se tornando mais difundidas e utilizadas.

Novos tratamentos estão em constante desenvolvimento. Importantes parcerias com centros de pesquisa ajudam a elaborar tratamentos de ponta, possibilitando cirurgias remotas, aparelhos de monitoramento e até mesmo exoesqueleto já se encontrando disponíveis no mercado. 

Um exemplo de sucesso desse modelo é a nanotecnologia utilizada no tratamento de câncer.

Investimentos em healthtechs atingem US$ 14,6 

É evidente o crescimento de healthtechs nos últimos anos. A cada ano o setor conquista espaço, entre 2020 e 2021 o percentual de investimentos saltou de US$ 7,1 bilhões para US$ 14,6 bilhões.

Atualmente o Brasil registra um total 747 healthtechs ativas e  é tido como o maior mercado de saúde na América Latina e o sétimo no mundo. Um levantamento da Medicina S/A indica que 85% dos hospitais pretendem investir em serviços de comunicação e tecnologia. 

Se você quer investir em healthechs como a engravida, abra sua conta na beegin e confira suas oportunidades.

Seja sócio das empresas do futuro com a beegin.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.