Investidor qualificado: saiba quem pode ser

Investidor qualificado

O mercado de capitais não oferece todos os produtos de investimento para todos os clientes. Produtos mais sofisticados são, por exigência da regulação, restritos apenas a quem é classificado como investidor qualificado.

Neste artigo, vamos discutir:

  • O que é um investidor qualificado
  • Por que existe essa classificação de investidor
  • Como se tornar investidor qualificado
  • Investidor qualificado e os ativos alternativos

O que é um investidor qualificado?

A Instrução 539/2013 da CVM é a norma que trata da obrigatoriedade de se oferecer produtos de investimento de acordo com o perfil do investidor. Entre outras coisas, ela estabelece as categorias de investidores profissionais e qualificados.

De acordo com a norma, é considerado investidor qualificado:

  • pessoas físicas e jurídicas que possuam investimentos financeiros em valor superior a R$ 1 milhão;
  • pessoas físicas aprovadas em exames de qualificação técnica ou com certificação de agentes autônomos de investimento, administradores de carteira, analistas e consultores de valores mobiliários; e
  • clubes de investimento, desde que o gestor da carteira tenha a qualificação.

A norma também cria a categoria de investidor profissional, com exigências diferenciadas. Um investidor classificado como profissional também tem acesso aos produtos destinados ao investidor qualificado.

Por que existe essa classificação de investidor?

O investidor qualificado pode alocar seu patrimônio em investimentos com maior risco e menor liquidez com uma menor possibilidade de comprometer uma fatia representativa do seu patrimônio. Portanto, essa limitação é feita, principalmente, para assegurar a mitigação do risco de perda relevante ou falta de liquidez por tempo indeterminado para os investidores com patrimônio abaixo de R$ 1 milhão ou aqueles que não tenham todo o conhecimento necessário para entender os riscos e condições desse tipo de investimento. 

Como se tornar um investidor qualificado?

O caminho mais usual é acumular R$ 1 milhão em patrimônio investido em ativos financeiros. Uma pessoa com este patrimônio investido pode solicitar o seu Termo de Investidor Qualificado na corretora ou banco de investimentos onde tem conta.

No Termo, a pessoa assume não só que possui o patrimônio necessário, mas também que detém o conhecimento necessário para operar investimentos mais complexos.

Outro caminho, para quem não tem este patrimônio, é  realizar uma prova técnica para tirar uma certificação. Entre as certificações aceitas, temos:

  • CEA — Certificação de Especialista em Investimentos ANBIMA;
  • CGA — Certificação de Gestores ANBIMA;
  • CFP — Certified Financial Planner – Planejador Financeiro;
  • CFA III — Chartered Financial Analyst;
  • Agente Autônomo de Investimentos (AAI) — Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord);
  • CNPI — Analista de Valores Mobiliários

Investidor qualificado e os ativos alternativos

Vários produtos de investimentos alternativos são restritos, por regulação, aos investidores qualificados. É o caso dos fundos de investimento em participações, que investem em empresas de capital fechado.

Também é o caso dos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FDIC), também conhecidos como fundos de recebíveis. Estes fundos alocam seu capital para comprar os chamados “direitos creditórios”, ou seja, o direito que uma empresa tem de cobrar uma fatura. São muito acessados por empreendedores que querem antecipar recursos que têm a receber.

Mas se engana quem pensa que os ativos alternativos só estão ao alcance dos investidores qualificados. Nas plataformas de investimentos alternativos, também conhecidas como plataformas de equity crowdfunding, os investidores não qualificados podem investir até R$ 10 mil ou 10% do seu patrimônio investido em oportunidades com grande potencial de retorno no longo prazo, como a participação em empresas de capital fechado em fase de crescimento. Na plataforma beegin.invest, por exemplo, é possível começar com investimentos a partir de R$ 5 mil. 

Se você é um investidor qualificado, conheça o curso Solum.pro, perfeito para você que quer se aprofundar no mundo de Private Equity e Venture Capital, acessar ótimas oportunidades no mercado e aumentar seu networking.

Caso você ainda esteja em busca de se tornar um investidor qualificado, adquira conhecimento especializado por meio dos conteúdos e cursos da Solum.ed e descubra como você pode incluir os investimentos alternativos na sua estratégia de investimento.

Perguntas Frequentes

O que é um investidor qualificado?

De acordo com a norma, são as pessoas físicas e jurídicas que possuam investimentos financeiros em valor superior a R$ 1 milhão, as pessoas físicas aprovadas em exames de qualificação técnica ou com certificação de agentes autônomos de investimento, administradores de carteira, analistas e consultores de valores mobiliários; e os clubes de investimento, desde que o gestor da carteira seja um investidor qualificado.

Como comprovar que sou um investidor qualificado?

Se o seu patrimônio é superior a R$ 1 milhão, você pode solicitar o Termo de Investidor Qualificado em sua corretora ou banco de investimento. Outra opção é por meio das certificações CEA (Certificação de Especialista em Investimentos ANBIMA), CGA (Certificação de Gestores ANBIMA), CFP (Certified Financial Planner – Planejador Financeiro), CFA III (Chartered Financial Analyst), Agente Autônomo de Investimentos (AAI) da Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord) e CNPI (Analista de Valores Mobiliários).

O que acontece se me tornar investidor qualificado?

A pessoa passa a ter acesso a produtos de investimento considerados de maior risco, como fundos de investimento em participações.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.