Investimento de longo prazo: qual a sua importância?

Investimento de longo prazo
beegin -invista em startups

Quem investe quer retorno do seu capital. Este pode acontecer em diferentes prazos, desde um dia até vários anos, de acordo com o ativo. Vários deles, como os investimentos alternativos, são considerados de longo prazo.

Em uma estratégia de diversificação de capital, é fundamental considerar a combinação de investimentos de curto e longo prazo, assim como é importante combinar ativos com mais ou menos liquidez, e maior ou menor relação risco e retorno.

Neste artigo, você vai conhecer:

  • O que é um investimento de longo prazo
  • Como avaliar um investimento de longo prazo
  • Exemplos de investimentos de longo prazo
  • Longo prazo e os ativos alternativos

O que é um investimento de longo prazo

Um investimento é considerado de longo prazo quando o seu prazo de vencimento ou perspectiva de retorno é de vários anos. Normalmente, costuma-se estabelecer como padrão a perspectiva de retorno em prazo superior a cinco anos.

Esta é a principal diferença entre os investimentos de longo prazo e os de curto e médio prazo. Normalmente, é considerado curto prazo um período de menos de um ano, e médio prazo entre 1 a 5 anos.

Mais do que o tempo, o investimento de longo prazo tem a característica de estar atrelado a projetos de ciclos mais longos, como empreendimentos imobiliários ou a construção de uma empresa. Já os de curto prazo são relacionados a operações de vencimento mais rápido, como crédito interbancário.

Como avaliar um investimento de longo prazo

Quando alguém decide alocar patrimônio em um investimento de longo prazo, ele escolhe abrir mão de ter este recurso disponível em troca de um retorno maior ao final do ciclo. Por isso, para avaliar um investimento de longo prazo é preciso analisar diferentes fatores:

  • Retorno esperado: um investimento de longo prazo precisa entregar um retorno que compense a espera;
  • Risco e incerteza: o prazo mais longo, por si só, amplia a incerteza do investimento, mas há mercados e ambientes de negócio mais incertos que outros. Por isso, estimar o grau de incerteza de um ativo é fundamental;
  • Renda fixa ou variável: Um investimento de longo prazo pode ser em um ativo indexado a uma taxa de juros, mas com pagamento apenas ao final do ciclo, ou pode estar associado à oscilação do valor de um ativo da economia real.

Em uma estratégia de diversificação de carteira, os investimentos de longo prazo recebem a parcela do patrimônio que o investidor não tem pretensão de usar de forma imediata, como a reserva de emergência.

Exemplos de investimentos de longo prazo

Há várias modalidades de investimentos que podem ser consideradas de longo prazo. Veja abaixo alguns exemplos conhecidos do mercado de capitais:

  • Debêntures: títulos de renda fixa emitidos por empresas;
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio: títulos de renda fixa emitidos por instituições financeiras para financiar o mercado imobiliário ou o agronegócio;
  • Fundos de investimento: vários fundos de investimento tem o objetivo de entregar retorno no longo prazo. É o caso de alguns fundos de ações, multimercado ou de participações, por exemplo.
  • Ativos alternativos: além do alto potencial de retorno e baixa correlação com as demais classes de ativos, os alternativos possuem como característica o longo prazo de liquidez. Abaixo detalhamos a relação entre essa classe e o longo prazo.

Ativos alternativos e o longo prazo

Por definição, os investimentos classificados como alternativos são voltados para o longo prazo. Seja por se tratar de participação em empresas de capital fechado, como no private equity e no venture capital, seja por se tratar de ativos mais expostos à incerteza, como legal claims e distressed assets.

Por isso, incorporar os ativos alternativos na carteira é uma estratégia de diversificação interessante para os seus objetivos de longo prazo, como montar um negócio no futuro, comprar um imóvel ou se aposentar, pois são ativos que possuem um maior potencial de retorno no tempo, o que poderá facilitar o atingimento desses objetivos.

Para fazer uma correta diversificação e alocação em investimentos alternativos com responsabilidade, conhecimento é fundamental. Fazendo os cursos de private equity e venture capital da Solum.ed, você se prepara para explorar melhor essas oportunidades.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.