Juros simples e composto: entenda as diferenças

Juros simples e compostos

Para o investidor que está interessado em diversificar seus investimentos, entender a diferença entre juros simples e juros compostos é bastante importante para escolher bem onde alocar seus ativos

Os juros simples são mais conhecidos por pessoas que tomam empréstimo e precisam saber quanto terão que pagar a mais por esse dinheiro emprestado. 

Já os juros compostos fazem parte do dia a dia dos investidores que olham para o longo prazo e buscam uma remuneração maior pelo investimento feito. 

O que são juros simples

Os juros simples são tradicionalmente usados para operações como empréstimos feitos para compra de carro ou uso do rotativo do cartão de crédito. Trata-se de uma porcentagem fixa do valor principal. 

Essa porcentagem é acrescida ao valor original do empréstimo feito para se chegar ao montante final a ser pago. 

A fórmula do juros simples é:

J = C.i.t 

Ou seja, juros = valor inicial x taxa de juros x período da transação. Em um exemplo prático, suponhamos que o empréstimo tenha sido de R$ 5.000, a uma taxa de 5% ao ano, durante 2 anos. A conta ficaria assim:

J = R$ 5.000 x 0,05 x 2 que é igual a R$ 500 a ser pago em juros após o período de 2 anos. 

O que são juros compostos

Os juros compostos fazem parte do mundo financeiro em geral, seja por meio de transações comerciais, investimentos ou produtos financeiros. Normalmente, são usados para operações com período de tempo maior. 

Também conhecidos como juros sobre juros, os juros compostos têm esse nome porque são acrescidos ao valor anterior que já teve acréscimo de juros. Ou seja, não é apenas acrescentada uma taxa fixa ao valor inicial. 

Os juros do período são acrescentados ao valor inicial e, consequentemente, também acrescidos aos valores seguintes, já corrigidos. 

Por isso, ativos de renda variável que ficam investidos por um longo período de tempo, como ações, venture capital, private equity, entre outros, podem gerar bons rendimentos ao final do período. 

A fórmula dos juros compostos é:

M = C (1 + i)ᵗ

Nesse caso, o M é para montante, o C para capital, o i para taxa de juros e o ᵗ para o período de tempo. O exemplo seria um investimento de R$ 1.000 a uma taxa de 5% ao mês. 

No primeiro mês, a taxa de 5% é calculada sobre o valor inicial. Já a partir do segundo mês, essa taxa é calculada sobre o valor de R$ 1.050, que é o capital inicial + o rendimento anterior. 

Gostou do conteúdo e quer aprender ainda mais sobre o mercado financeiro e investimentos alternativos? Fique de olho nos conteúdos gratuitos e cursos oferecidos pela Solum.ed.  

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.