Mercado pet: uma indústria que cresce no Brasil

Os pets sempre foram muito queridos entre as famílias brasileiras. Mas a pandemia e o isolamento social aceleraram esse processo e expandiram o mercado pet. Com mais bichos em casa e mais tempo com eles, o brasileiro passou a procurar mais serviços e mimos para os animais de estimação. 

De acordo com pesquisa realizada pelas empresas parceiras Petlove&Co e DogHero, 54% dos tutores adotaram um pet durante a pandemia e 19% deles adquiriram um animal de estimação pela primeira vez. 

Mais pessoas com animais de estimação em casa, e por mais tempo, fizeram com que houvesse um crescimento significativo no total de lojas com produtos específicos e também o surgimento de novas startups querendo surfar essa onda. 

Ainda é um estágio bem embrionário para as empresas que agora são conhecidas como pet techs, startups focadas no mercado pet. Mas a previsão é de crescimento para os próximos anos. 

Como está o mercado pet

O mercado pet está em ampla expansão, puxado pelo novo cenário desenhado a partir do surgimento da pandemia do Covid-19. Com as pessoas trabalhando em modelo de home office, ou até mesmo híbrido, houve muito espaço para o crescimento do interesse por uma companhia em casa. 

Isso fez com que a variedade de produtos aumentasse para atender essa nova demanda e elevasse o faturamento projetado da área em 2021 para quase 50 milhões de reais, crescimento de 22% em relação ao ano de 2020. Os números são do Instituto Pet Brasil. 

O que mais vende no mercado pet

A variedade de produtos para o mercado pet está cada vez maior, indo desde a tradicional ração a alimentadores automatizados. O carro chefe das grandes redes de pet shop ainda é a alimentação. Mas, além do produto industrializado, cresce também os tutores que optam por oferecer comida natural aos seus pets, fazendo com que o mercado de marmitas também cresça. 

Além disso, brinquedos variados para dar conta de manter os bichinhos de apartamento entretidos, roupas para proteção durante o inverno, remédios e serviços em geral, como banho e tosa, são as principais ofertas procuradas pelos consumidores. 

Oportunidades do mercado pet

Para o investidor que está à procura de uma nova área, o mercado pet pode ser muito promissor. De 2019 para 2020, o crescimento do setor foi de 13%. De 2020 para 2021, deve ser de 22%. 

Isso faz com que novas empresas surjam para atender uma demanda em crescimento. Isso faz com que novas startups apareçam e ofereçam inovação para jovens que gostam de tecnologia e também da comodidade na hora de cuidar dos pets. 

Apesar do crescimento, apenas a Petz, líder de mercado, tem o capital aberto. A empresa está avaliada em R$ 6 bilhões e teve forte crescimento do seu e-commerce puxado pela pandemia. 

Isso faz com que ainda haja um oceano azul para novas empresas chamarem atenção de fundos de private equity e venture capital para alavancar seus negócios e expandir a operação. 

O mercado consumidor de pets é composto por mais de 130 milhões de bichos, incluindo cães, gatos, pássaros, peixes, entre outros. Então existe uma variedade de opções de produtos e nichos a serem explorados. 

Cabe ao investidor estudar o mercado e entender onde está o maior potencial neste momento, pensando em investir na empresa com maior potencial de retorno no longo prazo.

Empresas como a Petlove, uma das referências em e-commerce pet no Brasil, recebeu dois aportes em 2020. Um de R$ 250 milhões do Softbank e outro de R$ 125 milhões do fundo de private equity L. Catterton. Com o valor recebido, a empresa foi às compras e adquiriu a Vetus, empresa de gestão de pet shops e clínicas. 

Agora que entendeu mais sobre o mercado pet, fique por dentro de conteúdos relevantes sobre o mercado de investimento, e conheça os melhores investimentos em empresas de alto crescimento disponíveis na beegin.

Padaria Pet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.