Nova economia: o que é e qual o seu impacto

Nova economia
beegin -invista em startups

Mudanças significativas aconteceram nos mercados tradicionais ao redor do mundo desde o surgimento da internet, a chegada da indústria 4.0 e das startups. A partir dessas novidades, uma nova economia surgiu e tem feito com que a relação entre clientes e empresas seja diferente do que era antes. 

Para as empresas continuarem ganhando espaço no mercado e fidelizando seus clientes, é preciso entender essa mudança na prática para conseguir atender as novas demandas de um público que é cada vez mais exigente. 

É possível notar um foco maior na oferta de serviços e não apenas de produtos e um tipo de interação diferente. Atualmente, o consumidor ou usuário está mais no centro das ações e se relaciona de forma mais ativa com as marcas, especialmente depois do advento das redes sociais. 

O surgimento desse novo modelo de economia desenvolveu uma nova gama de empresas. Por isso, novos tipos de investimentos, como venture capital e private equity surgiram para que fosse possível investir nelas. 

O que é a nova economia? 

O termo nova economia não é novo, ele foi usado pela primeira vez em 1983, em um artigo da revista americana Time. Nele, o jornalista Charles P. Alexander indica que esse novo modelo de economia é marcado por mudanças rápidas e contrastes acentuados. 

Hoje em dia, é possível perceber essas mudanças acontecendo na prática. Muitas das empresas tradicionais, que estão no mercado há anos, precisaram se reinventar para não perder espaço. 

As que não conseguiram ou não quiseram absorver essas mudanças e alterar seu modelo de negócio acabaram ficando pelo caminho ou perderam muita participação de mercado. 

O foco deixou de ser apenas na comercialização de produtos, mas na entrega de serviços e experiências de qualidade para o consumidor. O perfil do consumidor também, tanto que são chamados de usuários. 

O perfil do consumidor na nova economia

A postura do usuário, que antes era passiva, passou a ser muito ativa e fez com que as empresas precisassem se adaptar e entregar um atendimento de qualidade. 

Além dessa alteração na postura, é possível perceber outras mudanças. O novo usuário quer serviços customizados, buscam entregas funcionais, tangíveis e tecnológicas, estão interessados em experiências com propósito e significado e não tem problema em trocar de marca caso não se sinta satisfeito. 

A oferta hoje é muito maior, já que o mercado deixou de ser dominado por poucas marcas conhecidas. Há uma diversidade mais ampla de opções, o que faz com que a empresa precise se esforçar mais para fidelizar seus clientes. 

Impactos da nova economia

Há dois exemplos clássicos de empresas que não souberam se adaptar à nova economia e perderam espaço no mercado. A Blockbuster, antiga locadora de DVDs que liderava o mercado, teve a oportunidade de comprar a Netflix, mas não viu sentido no negócio. 

Hoje, a Netflix vale mais de US$ 100 bilhões e a Blockbuster já não existe mais. Além dela, a Nokia tinha uma participação expressiva no mercado de celulares no início dos anos 2000. Após a chegada dos smartphones, a empresa não acompanhou o mercado e perdeu espaço considerável para empresas como Apple e Samsung.

Tipos de negócio da nova economia

 A nova economia abriu espaço para novos tipos de negócio, que oferecem diferentes tipos de serviços aos usuários. 

Criativos

Baseados em ideias disruptivas, eles causam transformações vitais. Na maior parte das vezes, trabalham com bens intangíveis e focam em entretenimento, conhecimento e canais de relacionamento. 

Sociais ou de impacto

Nesse tipo, o objetivo principal não é o lucro. A ideia é causar impacto e deixar uma marca na sociedade. Normalmente, atuam em projetos na área de educação, capacitação profissional, ambiental, saúde, moradia, entre outros. 

Inovadores corporativos

Essa postura costuma ser adotada dentro de empresas, por funcionários com perfil empreendedor e que acabam criando soluções para demandas do dia a dia de seus clientes. O conceito também é conhecido como intraempreendedorismo. 

Escaláveis

Os negócios escaláveis são representados pelas startups, empresas que foram criadas para solucionar algum problema usando a tecnologia como meio para isso. O seu objetivo é poder atender o maior número possível de pessoas com a mesma estrutura. 

A nova economia trouxe novas empresas e novos tipos de ativos, como os investimentos alternativos, por exemplo. Conheça oportunidades de empresas captando recursos para expandir suas operações. 

Como investir em startups

Uma resposta para “Nova economia: o que é e qual o seu impacto”

  1. Artigo muito interessante e informativo; no meu ponto de vista só faltou mencionar uns dos elementos importante na nova economia; que sao as pessoas; não adianta tecnologias, mudanças rapidas, informações; sim a cabeça e atitude das pessoas continua igual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.