O que é MVP e porque as startups começam por ele

O que é MVP

A sigla MVP é bastante comum no mundo das startups e também para investimentos inovadores como venture capital. O Produto Mínimo Viável (MVP ou Minimum Viable Product, em inglês) é a versão inicial de um novo produto lançado no mercado. 

De forma resumida, o MVP é quase um protótipo para o que se pretende ser a versão mais avançada do produto. Esse produto inicial precisa ser funcional, porque já é oferecido ao mercado, normalmente em ambiente controlado, para entender a receptividade do mercado e avaliar se terá sucesso. 

Vamos falar sobre esse conceito importante do mundo das startups e que fez sucesso entre grandes empresas como Facebook e Apple. 

O que é MVP

O MVP ou produto mínimo viável, como o próprio nome diz, é uma versão ao mesmo tempo enxuta e viável de um novo produto ou serviço, com o objetivo de investir pouco recurso no seu desenvolvimento antes de escalar a entrega. 

Desse modo, é possível validar o product market fit. Ou seja, entender a receptividade do público em relação ao produto ou serviço, colher as opiniões e entender se é uma demanda em alta que teria potencial de crescer, o que justificaria alocar mais recursos para o seu desenvolvimento. 

Quem utiliza o lean startup, baseado na startup enxuta de Eric Ries, adota esse formato com o objetivo de otimizar o uso dos recursos financeiros disponíveis, evitando assim o alto investimento em produto que não tem receptividade no mercado. 

MVP e o mundo dos investimentos

Empresas que estão em estágio inicial, de validação de seu produto ou serviço, são as que atraem a atenção de investimentos que estão dispostos a correr mais riscos. Por isso, olham para investimentos alternativos como venture capital. 

Para essa fase inicial, de validação do MVP ou até mesmo logo após a validação, entram em cena os investidores anjo e também o capital semente. Essas rodadas de investimento iniciais vão preparar a startup que conseguir iterar seu produto da forma correta para avançar no mercado. 

Com isso, poderão receber novas rodadas como a série A, por exemplo, e avançar até o ponto de chegar a receber o valuation de uma startup unicórnio, aquelas avaliadas em US$ 1 bilhão. 

Os investidores que estiverem dispostos a entrar na renda variável e aceitar o risco e volatilidade que fazem parte desse tipo de investimento, podem conseguir grandes retornos em caso de crescimento da empresa. 

Para isso, é importante estudar o mercado e entender se esse tipo de investimento faz sentido para a sua estratégia de portfólio

Gostou do conteúdo e quer aprender ainda mais sobre o mercado financeiro? Fique de olho nos conteúdos gratuitos e cursos de investimentos alternativos da Solum.ed

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.