O que é renda fixa: saiba tudo sobre esse tipo de investimento

renda fixa

Começou a se interessar pelo mundo dos investimentos, ouviu alguém falar sobre renda fixa e ficou em dúvida sobre o assunto? Não se preocupe, você está no lugar certo para aprender tudo o que precisa para começar a criar a sua carteira de investimentos.

A renda fixa é uma classe de ativo em que é possível ter previsibilidade do valor que você irá receber ao final do prazo contratado. Ou seja, seu investimento estará menos exposto a oscilações ao longo do tempo e você poderá se programar de forma mais clara por conhecer a sua rentabilidade. 

Neste artigo completo e didático, vamos mostrar as principais informações sobre o assunto. Confira o que você vai aprender:

  • O que é renda fixa?
  • Como funciona a renda fixa? 
  • Renda fixa ou renda variável
  • Tipos de renda fixa
  • Como investir em renda fixa 

O que é renda fixa? 

Como o próprio nome sugere, investimento em renda fixa é quando a rentabilidade é previsível e permite a você saber quanto de dinheiro irá receber ao final do período contratado, ou ter uma ideia aproximada do saldo final.  

E por que, mesmo na renda fixa, é possível haver variação do valor final que você irá receber do seu investimento? Simples, porque existem duas formas de calcular a rentabilidade para ativos de renda fixa: juros pré-fixado e os juros pós-fixado. 

  • Juros pré-fixado: nessa modalidade, a taxa de juros é definida na contratação do título. Então, você já sabe qual será a rentabilidade do valor investido e qual será o seu saldo ao final do período contratado. 
  • Juros pós-fixado: nessa modalidade, a taxa de juros está atrelada a algum índice, como a Selic, o CDI, o IPCA etc. Ou seja, haverá oscilação da rentabilidade nesse tipo de investimento. 

Quando se fala em renda fixa, é fácil lembrar da poupança, muito popular entre os brasileiros. É um investimento prático e fácil de fazer, com liquidez diária. Mas, apesar da praticidade, tem uma rentabilidade pouco atrativa. 

Existem outros investimentos em renda fixa, tão seguros quanto a poupança, que oferecem uma rentabilidade maior. São ativos também protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), com cobertura de até R$ 250 mil por CPF, como os Certificado de Depósito Bancário (CDBs), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs), por exemplo.

Como funciona a renda fixa?

No investimento em renda fixa, você empresta seu dinheiro ao banco, ao governo ou a uma instituição financeira. Eles usam esse capital para investir em melhoria de infraestrutura, expansão, empréstimo para clientes e demais atividades financeiras. E devolvem o seu dinheiro acrescido de juros. 

Quando você toma dinheiro emprestado do banco, está usando o saldo de alguém que investiu em CDB, por exemplo, que é um tipo de investimento em renda fixa. Ou seja, o dinheiro não fica parado, ele gira e faz a economia girar junto.

Também é possível encontrar diferentes investimentos em renda fixa para diferentes perfis de investidor. Você pode escolher por ativos conservadores, com menor risco, alta liquidez e retorno modesto, mais indicados para a criação da sua reserva de emergência, como os títulos públicos. 

Caso você seja um pouco mais arrojado, pode optar por investimentos em renda fixa um pouco mais arriscados, com menor liquidez e, consequentemente, retornos maiores, com objetivo de médio e longo prazo, como CDBs de instituições financeiras menos consolidadas e de vencimento longo.

O importante é ter claro qual o seu principal objetivo com o investimento que será feito. É de curto, médio ou longo prazo? Você quer trocar seu celular, o carro ou comprar a primeira casa? Com essa informação em mãos, fica mais fácil de direcionar o seu dinheiro. 

Renda fixa ou renda variável?

Na renda fixa, a taxa de juros é previsível e você sabe quanto será a sua rentabilidade. Ela é definida ao longo de todo o período contratado para determinado título. Isso mitiga a possibilidade de surpresas ao final do seu investimento. É recomendada para quem está começando a investir, quem vai criar a sua reserva de emergência ou tem um perfil mais conservador. 

Já a renda variável, como o próprio nome diz, varia ao longo do tempo. O principal exemplo desse tipo de investimento são as ações negociadas na bolsa de valores. Você compra ações, que equivalem a partes de uma empresa, e acompanha o desempenho dessa empresa e do seu mercado de atuação como um todo, contando que essa ação vai se valorizar e junto com ela o seu investimento. 

Há outros tipos de investimento de renda variável disponíveis no mercado, como venture capital e private equity. Embora sejam investimentos para todos os perfis de investidores, precisam ser feitos com cuidado, pois possuem um alto risco, pouca liquidez, embora o potencial de rentabilidade seja muito grande. 

O dinheiro é investido em empresas de capital fechado, em diferentes estágios, para que elas cresçam e, com o tempo, os investidores tenham retorno por meio de dividendos ou pela venda de sua participação. 

É importante comprometer um percentual pequeno do seu dinheiro nessa modalidade, e apenas quando você já tiver uma reserva de emergência constituída.

É essencial que você saiba qual é o seu perfil de investidor e o quanto está disposto a se expor a riscos e também ter clareza sobre o destino que será dado a esse valor investido. Tudo isso ajuda você a optar por um caminho ou, até mesmo, diversificar seus investimentos e trabalhar com ativos e rentabilidades variadas. 

Tipos de renda fixa

Agora você vai conhecer melhor alguns dos principais tipos de investimento em renda, para entender qual faz mais sentido para o seu momento e atende melhor os objetivos traçados. Vamos falar sobre tesouro direto, CDB, LCI, LCA e fundos de investimentos. 

Tesouro direto

No Tesouro Direto, você compra títulos oferecidos pelo governo por meio de uma plataforma do Tesouro Nacional. O governo usa esse dinheiro para financiar os gastos públicos e devolve o valor investido acrescido de juros. 

  • Tesouro Selic: indexado à taxa Selic e com liquidez diária. Ideal para reserva de emergência. 
  • Tesouro pré-fixado: taxa de juros pré-fixada.
  • Tesouro IPCA+: título que remunera com base na inflação futura, medida pelo índice IPCA, acrescido de uma taxa de juros pré-fixada.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um produto comum entre os bancos brasileiros. Trata-se de um empréstimo feito aos bancos pelos investidores, como forma de captação de recursos para que estas instituições, por sua vez, concedam empréstimos a juros mais altos que os dos CDBs, para seus clientes, pessoas físicas ou jurídicas. 

Ao final do período contratado, você recebe o que investiu acrescido de juros. É um tipo de investimento que costuma ter a sua taxa de juros atrelada ao CDI. Bancos menores costumam oferecer melhores taxas.

E deixar o dinheiro aplicado por mais tempo também pode ajudar a garantir rentabilidades maiores no período. 

LCI e LCA

Pensando em investir no setor de imóveis ou do agronegócio? Ao comprar Letras de Crédito Imobiliária (LCI) ou Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), é exatamente isso que você está fazendo. 

Esse é um tipo de investimento semelhante ao CDB, mas com uma vantagem interessante. Não há tributação de imposto de renda sobre o que você ganhar, ou seja, o lucro é líquido e vai direto para a sua conta. As taxas podem ser pré ou pós-fixadas. 

Fundos de investimentos

Os fundos de investimentos envolvem grupos de investidores que usam uma gestora para investir em determinada carteira de ativos. É possível comprar cotas desses fundos e a sua rentabilidade será referente ao total de cotas que foram compradas.

É um tipo de investimento para quem não tem tempo e não quer aprofundar em escolher diferentes ativos, deixando isso a cargo da gestora do fundo. Há fundos de investimentos que, por regulamento, só podem investir em renda fixa.

Renda fixa e o imposto de renda

Ao investir em LCI e LCA, você não precisa se preocupar em pagar imposto de renda. Porém, nos outros ativos é preciso pagar essa tributação sobre o valor recebido de juros, ou seja, sobre a rentabilidade do título. 

Essa é uma tarifação regressiva, ou seja, fica menor quanto mais tempo você deixa o valor investido. Portanto, prefira deixar o investimento por mais tempo, para ter menos incidência de imposto. 

Exemplo de como o imposto pode ser cobrado:

Prazo de vencimentoAlíquota
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias 20%
De 361 a 720 dias17,5%
A partir de 721 dias15%

Como investir em renda fixa

Você pode investir em renda fixa por meio do seu banco ou de uma corretora. Geralmente, as rentabilidades oferecidas por corretoras são mais atrativas do que as de bancos e as opções de investimentos são maiores. 

Hoje em dia, todas essas operações podem ser feitas diretamente do seu computador ou até mesmo pelo celular. Com o avanço da tecnologia e das opções de casas de investimento, o processo está cada vez mais prático. 

Você também pode comprar títulos de renda fixa negociados por plataformas de investimentos alternativos, como a beegin.invest. Oferecidos de acordo com as regras da Instrução 500 da CVM, eles são um canal por meio do qual o investidor pode alocar em empresas pequenas e médias, obtendo muitas vezes taxas de juros superiores ao CDI.

Se interessou em aprofundar seus conhecimentos sobre as diversas classes de ativos para investir e avaliar novas opções para compor sua carteira? Veja as opções de cursos da Solum.ed que atendam seus objetivos e comece agora a mudar o seu futuro.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.