Organizações Exponenciais: Tudo o que você precisa saber

Organizações exponenciais
beegin -invista em startups

Quando falamos de negócios no século XXI, automaticamente falamos de inovação e tecnologia. E normalmente, nestes casos, pensamos apenas em startups. Mas os gestores de venture capital estão cada vez mais procurando por empresas que combinem aspectos dos negócios tradicionais e de startups: as organizações exponenciais..

Essa expressão foi criada em 2014 por Salim Ismail, Michael S. Malone e Yuri van Geest, pesquisadores da Singularity University, no livro que tem o mesmo nome, se refere ao grande impacto que estas empresas possuem na sociedade, em comparação às empresas tradicionais.

Neste artigo, nós vamos nos aprofundar sobre isso, mostrar porque as empresas exponenciais estão muito na frente das tradicionais e porque você deve ficar atento a estas empresas.

O que significa Organizações Exponenciais?

A Singularity University definiu organizações exponenciais como empresas com capacidade de desenvolver soluções que entreguem 10 vezes mais valor que os seus concorrentes tradicionais. Ou seja, a solução pode ser 10 vezes mais rápida, mais barata ou mais eficiente que o comparativo tradicional.

Por este motivo, podemos considerar que são modelos de negócios disruptivos, com diferentes metodologias de trabalho, e que incorporam inovações na estrutura de sua organização, para além dos produtos e processos em si.

Como resultado, todo este arranjo resulta em empresas com crescimento muito superior à média de mercado, e maior que os modelos de negócio lineares.

São estas características que permitiram empresas como Uber, Airbnb e iFood terem faturamentos elevados e valor de mercado recorde, por mais que sejam empresas jovens. 

Quais são as características das Organizações Exponenciais?

Para definirmos os principais atributos destas organizações, a Singularity University faz uma associação com o cérebro humano.

Do lado esquerdo do cérebro, temos o hemisfério chamado de Ideias (IDEAS, no acrônimo em inglês), que mostra 5 atributos internos para organizações exponenciais.

  • Interfaces: Possibilidade de criar plataformas que organizam processos entre as várias áreas da empresa, funcionando como um elo de ligação.
  • Dashboards: cultura de gestão baseada em dados, com monitoramento em tempo real da produtividade e evolução de cada colaborador.
  • Experimentação: Validação de ideias com base em vários testes, realizados rapidamente.
  • Autonomia: Organização em equipes autogerenciáveis, ao contrário da hierarquia de empresas tradicionais,  e que atuem com autoridade descentralizada. 
  • Socialização: Desenvolver mecanismos que facilitem a comunicação entre as equipes, tornando os aprendizados mais rápidos e estruturas mais horizontais.

E do lado direito deste “cérebro empresarial”, temos o hemisfério chamado escala (SCALE, no acrônimo em inglês), que mostra os atributos externos de uma organização exponencial:

  • Equipe sob Demanda: Empresas exponenciais não contratam como empresas tradicionais. Parte da força de trabalho é formada por equipes sob demanda, como os motoristas de Uber e entregadores de iFood.
  • Comunidade e multidão: Colaboradores engajados. Não são tratados como empregados e sim como parte de uma tribo que tem um objetivo claro em comum.
  • Algoritmos: Hoje em dia tudo gira em torno de dados. E principalmente, os algoritmos. Organizações Exponenciais precisam ser direcionadas por eles para trazer melhores resultados.
  • Ativos Alavancados: Possibilidade de compartilhar  e usufruir de ativos com outras empresas, ou mesmo de pessoas físicas, Como por exemplo, a possibilidade de compartilhar de servidores de outras organizações, ou utilizar dados dos celulares dos clientes para gerar insights para os mesmos clientes.
  • Engajamento: Sempre manter clientes e colaboradores “comprando o negócio”, ou seja, sempre escutar os times e manter os clientes sempre próximos.

O que difere uma Organização Exponencial de uma tradicional?

As organizações tradicionais trabalham com produtos e matérias primas limitadas. Não só isso, como possuem um número de funcionários maior e estrutura hierárquica mais fixa, tornando a diminuição de custos um processo muito mais complicado, limitando os lucros. 

Empresas tradicionais ainda são em sua maioria formadas por uma grande centralização de poder e baixa intolerância para riscos, o que vai totalmente contra as Organizações Exponenciais, que pregam um processos mais flexíveis, além de mais autonomia e liberdade ao empregado.

Enquanto uma resiste um pouco mais às mudanças e tem sempre como alvo o cliente, o primeiro busca sempre estar em constante mudança, mudança essa que deve ser guiada pelas necessidades do cliente.

Como você pode investir em Organizações Exponenciais?

Organizações exponenciais são uma oportunidade interessante de investimento em venture capital. Se são empresas nascentes, a lógica é similar à do investimento em startups, com rodadas que começam no investimento anjo e no capital semente.

Empresas mais maduras e com o product market fit validado, por sua vez, podem captar por meio do equity crowdfunding, ou acessando fundos de private equity..

Aqui na Solum.ed, nós te ensinamos a identificar essas oportunidades e investir em empresas desse tipo.

Em nossos cursos de investimentos, você pode aprender o passo a passo de como identificar, analisar e investir em organizações exponenciais, com possibilidades de ganhos potenciais igualmente exponenciais. 

Quer saber um pouco mais? Conheça os cursos da Solum.ed.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.