Pitch deck: o que é e como montar o seu

Pitch deck
beegin -invista em startups

Empresas que buscam investimento precisam saber vender de forma convincente a sua solução oferecida para o mercado e seu potencial de crescimento. Para alcançar esse objetivo, o pitch deck é uma opção interessante. 

O mundo das startups tem feito crescer cada vez mais o interesse em investimentos alternativos como o venture capital. E, com tantas opções disponíveis atualmente, como o investidor irá escolher a empresa mais promissora? 

Fazer uma apresentação convincente e objetiva, apresentando as principais informações sobre o problema, solução, produto e potencial de crescimento é um caminho promissor. 

O que é pitch deck? 

O pitch deck é uma apresentação bem montada e convincente para apresentar o panorama da sua empresa, qual problema ela resolve, como é a solução entregue e qual o seu potencial de crescimento. 

O objetivo dessa apresentação é chamar a atenção de potenciais investidores que irão aportar capital no negócio com o objetivo de fomentar o seu crescimento e, consequentemente, recuperar o dinheiro investido no longo prazo

Para que seja convincente, o pitch deck precisa contar uma história de forma objetiva e embasada, para que o investidor entenda o negócio e sinta confiança na hora de investir o seu dinheiro. 

Estrutura do pitch deck

Além de trazer os principais dados sobre a empresa, o pitch deck precisa contar uma história convincente, prender a atenção dos investidores, passar uma mensagem clara e despertar o interesse em fazer parte do projeto. 

Para isso, é importante que tenha uma estrutura bem definida: 

  • Problema: descrição do problema que a empresa pretende resolver;
  • Cliente ou persona: quem é a pessoa ou empresa impactada por este problema, e que está disposta a pagar um serviço para resolvê-lo. Neste momento é importante tangibilizar com um personagem, real ou fictício, para deixar o seu problema mais evidente ao investidor;
  • Validação do problema: estatísticas, resultados de pesquisas e entrevistas com clientes potenciais para comprovar que o problema realmente existe;
  • Tamanho do mercado endereçável: uma estimativa de quantas pessoas são impactadas por aquele problema, e qual poderia ser o tamanho do mercado se todas elas pagassem pela solução;
  • Solução: de que forma a startup está resolvendo ou se propõe a resolver aquele problema;
  • Indicadores: qual tem sido o desempenho da empresa até o momento atual;
  • Go to market: qual a estratégia para fazer a empresa crescer, e qual a projeção de desempenho para os próximos anos;
  • Investimento necessário: quanto a empresa precisa investir para acelerar seu crescimento;
  • Equipe: quem são os fundadores e os líderes da empresa, e suas qualificações que comprovem a capacidade de execução da estratégia.

Veja abaixo, como exemplo, o pitch deck do AirBnB, quando a empresa foi lançada:

Além disso, é importante levar em conta:

  • Tenha um objetivo claro: é preciso, desde antes de montar a apresentação, ter claro qual o objetivo a ser alcançado;
  • Seja especialista no negócio: é essencial que você saiba do que está falando e passe essa confiança ao longo da apresentação;
  • Traga dados relevantes: um pitch deck convincente traz dados relevantes e que indiquem o potencial de crescimento;
  • Faça uma apresentação ilustrativa: para prender a atenção do investidor, é importante que seja uma apresentação visual e atrativa;
  • Objetividade: uma boa história, contada de forma objetiva e clara;
  • Acompanhamento: pode ser que seja necessário mais de uma apresentação, portanto, faça o acompanhamento dos próximos passos de perto. 

Pensando em atrair rodadas de investimento para a empresa, com o objetivo de expandir os negócios e aumentar o portfólio de produtos, é essencial desenvolver um bom pitch deck. 

Seja sócio das empresas do futuro com a beegin.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.