Planejamento financeiro: entenda a importância de criar o seu

Planejamento financeiro

Aquela frase que diz que “quem não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve” é muito válida para o mundo das finanças. Se não há planejamento financeiro, qualquer gasto pode ser feito e não há controle dos riscos

Se você não sabe quanto ganha todos os meses e quais são seus custos fixos e variáveis durante esse período, como saber se você terminará o mês no positivo ou negativo, certo? 

Por isso, é importante fazer um planejamento financeiro para ter clareza sobre as entradas e saídas e conseguir estabelecer objetivos de gastos, poupança e até mesmo investimentos. 

O seu eu de hoje precisa ter consciência da importância de preservar parte do seu capital, quando possível, para que seu eu de amanhã tenha uma vida mais confortável e segura. 

Como criar um planejamento financeiro

Não existe uma regra definitiva de como criar o seu planejamento financeiro. É importante que ele atenda às suas necessidades e mostre de forma objetiva qual é a sua situação. 

Para isso, pode ser feito em uma planilha, em um caderno, folhas de papel, no seu celular ou notebook. Você escolhe o formato, mas é importante que tenha algumas informações. 

  • Quanto você ganha por mês, seja com salário e rendas extras já mapeadas;
  • Qual seu custo de vida fixo (aluguel, prestação da casa, luz, água etc);
  • Qual seu custo de vida variável (média de gastos com lazer, serviços, eventualidades etc);
  • Se você poupa, quanto consegue poupar por mês. 

Com essas informações em mãos, fica mais fácil saber onde o gasto está excessivo e pode ser reajustado e traçar planos para aumentar sua renda. Seu primeiro objetivo é ter uma renda superior aos seus gastos para poder investir o valor que sobrar.

Isso permite que você comece a construir a sua reserva de emergência, que seria o equivalente a pelo menos seis meses do seu custo de vida fixo. Essa reserva deve ser investida em ativos de menor risco e alta liquidez.

E, posteriormente, abre espaço para que você comece a diversificar seus investimentos em ativos de diferentes classes, como renda variável e ativos alternativos, por exemplo, buscando rentabilidades maiores para poder colocar em prática seus objetivos de médio e longo prazos.

Se interessou por esse assunto e quer saber mais sobre o mercado financeiro? Então não perca os conteúdos e cursos oferecidos pela Solum.ed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.