Pronampe: financiamento para pequenas e médias empresas

Pronampe
beegin -invista em startups

Muitas pequenas e médias empresas sentiram o impacto na redução de consumo causada pela pandemia do Coronavírus. Para tentar minimizar as perdas e risco de falência, o governo lançou o Pronampe, uma linha de crédito específica para essas empresas terem uma alternativa. 

O objetivo desse crédito é fornecer capital de giro às empresas que solicitarem, podendo ser usado para investimento em infraestrutura, como também para o pagamento de salário dos funcionários e contas de consumo, como água, luz, internet etc. 

Criado inicialmente de forma emergencial, a linha de crédito se tornou permanente e agora está disponível para que pequenas e médias empresas possam seguir investindo em seus negócios e tenham alternativa enquanto a economia segue instável. 

O que é o Pronampe? 

O Pronampe é o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. O objetivo é oferecer uma linha de crédito para ajudar no desenvolvimento e fortalecimento dos pequenos negócios. 

Criado em maio de 2020 como uma alternativa para empresas que sentiram o impacto da redução de consumo causada pela pandemia do Coronavírus, o programa se tornou definitivo e hoje é mais uma opção de crédito para pequenas e médias empresas. 

Empresas que estão precisando captar investimento para ter capital de giro e investir na infraestrutura, ou até mesmo pagar funcionários e contas de manutenção da operação podem usar o Pronampe para esse objetivo. 

No início, os juros cobrados para esse empréstimo era Selic + 1,25% ao ano. Após a mudança feita em 2021, a taxa de juros passou a ser a Selic + 6% ao ano. 

Além disso, as empresas têm um prazo máximo de pagamento da dívida de até 36 meses. Mas há um projeto em andamento para a extensão desse prazo para 48 meses. E há carência de até oito meses para o início dos pagamentos. 

Como usar o Pronampe?

A empresa que deseja usar a linha de crédito oferecida pelo Pronampe precisa procurar uma instituição financeira credenciada e autorizada para solicitar o empréstimo. Isso pode ser feito em bancos tradicionais, fintechs e até mesmo cooperativas.

A instituição financeira pode exigir garantia pessoa sobre o empréstimo. No caso de empresas estabelecidas há mais de um ano, a garantia será o valor do empréstimo mais encargos. Já no caso de empresas com menos de um ano, a garantia pode chegar a 150% do valor contratado mais acréscimos. 

Além disso, é preciso manter o mesmo número de funcionários na empresa até 60 dias após o recebimento da última parcela do empréstimo. Em caso de informações incorretas sobre o número de funcionários, pode haver antecipação do vencimento da dívida.  

Empresas em situação de inadimplência podem solicitar a linha de crédito, mas fica a cargo da instituição financeira a liberação ou não do empréstimo. Por isso, o recomendado é que a empresa consiga regularizar sua situação antes de solicitar o empréstimo. 

Os critérios para a concessão do crédito ficam a cargo da instituição financeira escolhida, por isso, é importante pesquisar para entender qual delas oferece a melhor condição para a captação do recurso, que pode ser de até 30% da renda bruta da empresa no último exercício. 

Alternativa ao Pronampe

Uma empresa emergente pode optar por outras formas de financiamento para o seu negócio. Um caminho possível é captar investimento por meio do equity crowdfunding, modalidade regulada pela CVM.

No equity crowdfunding, o empreendedor pode emitir notas conversíveis em participação societária ou outros valores mobiliários em troca de recursos para dar tração ao seu negócio. Ao invés de contrair dívida, ele ganha sócios, que poderão se tornar embaixadores de sua empresa perante potenciais clientes e parceiros de negócio.

Se a sua empresa está planejando captar investimentos para crescer ainda mais, cadastre-se na beegin.

Como investir em startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.