Rendimento do CDI como referência de rentabilidade

rendimento do cdi

Quem investe em ativos de renda fixa está acostumado a ouvir que determinado investimento rende uma determinada porcentagem do CDI, E não só, mesmo investidores em renda variável, como ações, olham o CDI como referência. Na prática, será que todo investidor sabe o que isso significa? 

É importante entender esse conceito e como o cálculo é feito, pois é uma taxa essencial, muito presente no mercado financeiro e que baliza inúmeros investimentos disponíveis para a renda fixa. 

Na hora de compor uma carteira de investimentos diversificada, saber o que esperar de um ativo atrelado ao CDI é importante para entender como balancear a renda fixa, renda variável e também os alternativos, além de avaliar se os seus ativos estão rendendo acima ou abaixo da média do mercado. 

O que é CDI? 

O CDI é a sigla de Certificado de Depósito Interbancário. Refere-se à taxa de juros paga entre os bancos na hora de emissão de títulos com o objetivo de levantar recursos para fechar o dia no azul, conforme determina regulamentação do Banco Central. 

Como os bancos têm essa determinação de fechar a operação diária sempre no azul, às vezes é necessário emitir títulos para outros bancos para conseguir arrecadar o valor necessário para isso. Nesses casos, o CDI é a taxa de referência para esses títulos. 

Normalmente, ela está muito próxima da taxa Selic, que é a taxa básica de juros do país. Portanto, sempre que a Selic sobe, o CDI sobe e quando a Selic desce, o CDI também desce. 

Essa taxa serve de referência para boa parte dos investimentos em renda fixa, e também é utilizado para saber se a renda variável está ou não interessante. Muitos analistas comparam, por exemplo, o desempenho do Ibovespa ao CDI. 

Como calcular o rendimento do CDI? 

Para entender quanto é render 80%, 100% ou 120% do CDI, é preciso saber qual o valor da taxa durante o período de investimento e a rentabilidade do CDI para calcular a rentabilidade alcançada. A fórmula para isso é simples. 

Para um investimento de R$ 10 mil que foi aplicado em um investimento que rende 120% do CDI, que no período analisado foi de 6%, a conta ficaria da seguinte forma:

1,20 * 6/100 = 7,2% 

Nesse caso, o investimento renderia ao final do período contratado R$ 720. 

O mesmo vale para todos os rendimentos atrelados ao CDI. Portanto, para que seja vantajoso, é importante encontrar opções que rendam ao menos 100% do CDI. 

Qual a diferença entre CDI e Selic? 

Apesar de terem o valor parecido, o objetivo do CDI e da Selic é diferente e eles são usados por instituições diferentes. O CDI é a taxa de referência para a emissão de títulos entre bancos, privados e públicos. Ela serve de referência para uma série de ativos de renda fixa. 

Já a Selic é sobre a emissão de títulos públicos feita pelo governo para pagar dívidas ou realizar investimentos. Bancos e corretoras são as principais detentoras desses títulos, que também podem ser adquiridos por investidores pessoa física pela plataforma do Tesouro Direto. 

A negociação feita pelas instituições financeiras desses títulos públicos é baseada na Selic, que significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Essa taxa é revista pelo Comitê de Política Monetária (COPOM) do Banco Central, que se reúne a cada 45 dias. 

A Selic é a taxa de referência para as demais taxas de juros do país. Ela é usada para tentar conter a inflação, ou seja, quando a inflação está alta, a tendência é que a Selic suba, deixando o crédito mais caro e limitando a quantidade de dinheiro disponível no mercado. 

Quais investimentos seguem a taxa do CDI?

Boa parte dos ativos de renda fixa remunera o investidor com rendimentos atrelados ao CDI. É importante conhecer cada um deles para entender quais fazem sentido para a carteira de investimentos. 

Os principais ativos atrelados ao rendimento do CDI são: 

  • CDBs;
  • LCI e LCA;
  • Fundos de investimentos;
  • Debêntures;
  • CRI e CRA
  • Contas e carteiras digitais remuneradas;
  • Fundos DI;
  • Entre outros.

Muitos bancos menores ou corretoras conseguem oferecer rendimentos melhores para ativos como o CDB, por exemplo. Nos bancos tradicionais, essa taxa de rendimento costuma ser menor. 

Além disso, existem opções como LCI e LCA que são isentos de imposto de renda. De forma geral, o risco de investimentos atrelados ao CDI é muito baixo e podem ter rendimentos atrativos, especialmente quando a Selic está alta. 

Agora que você já tem informações para começar, fique de olho nas oportunidades de investimento disponíveis na beegin. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.