Startups brasileiras captam US$ 591 milhões em janeiro

Em janeiro, as startups brasileiras captaram US$ 591 milhões por meio de 62 rodadas. Os aportes recuaram no País em relação ao primeiro mês do ano passado, quando a cifra chegou a US$ 668 milhões. Ainda assim, o montante representa 45% do total levantado na América Latina nos primeiros 31 dias do ano, segundo relatório da Sling Hub, plataforma de inteligência de dados sobre o ecossistema de startups na região.

As empresas desse tipo da América Latina somaram US$ 1,3 bilhão em investimentos ao longo do primeiro mês de 2022, alta anual de 70%. Os aportes foram distribuídos em 81 rodadas, com uma média de US$ 25,4 milhões por round, 56% maior do que a registrada em 2021. Dos sete países cadastrados na base da Sling Hub, apenas o Peru não registrou uma rodada de financiamento em startups.

Na distribuição do volume de investimentos por país, a Colômbia aparece em segundo lugar, com 19%, depois de captar US$ 255 milhões. Parte desses números se deve a rodada série B envolvendo a Tul, plataforma de e-commerce de materiais de construção que levantou US$ 181 milhões.

A rodada startup, que anunciou a chegada ao Brasil para março, só não foi maior que a realizada pela Creditas. Menos de um ano após se tornar um unicórnio, a fintech brasileira levantou US$ 260 milhões e foi avaliada em US$ 4,8 bilhões. Entre as 10 maiores rodadas de janeiro, três foram brasileiras. Além da Creditas, a Gupy captou US$ 90 milhões. Em décimo lugar, aparece a startup de games Rei do Pitaco com US$ 32 milhões.

O relatório mensal elaborado pela Sling Hub é baseado em mais de 2.9 milhões de dados do Brasil, México, Chile, Colômbia, Argentina, Peru e Uruguai, com quase 25 mil startups cadastradas.

Brasil lidera fusões e aquisições de startups

O Brasil foi o grande protagonista dos M&As latino-americanos. O País concentrou 88% das aquisições e 100% das fusões em janeiro. As fintechs Credoro e Cobre Fácil foram destaques entre as fusões, e o Quinto Andar entre as aquisições. O unicórnio comprou o grupo argentino Navent, a quarta de sua história. Com isso, tornou-se o principal grupo habitacional da região.

Em janeiro, a América Latina reportou quase o dobro de fusões e aquisições em relação ao mesmo período de 2021. Foram 30, sendo 25 aquisições e 5 fusões. O maior número de transações foi com fintechs (6). Tecnologia financeira representou 20% das startups adquiridas no primeiro mês do ano.

Conheça as melhores startups para investir na beegin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.