Venture debt: o que é e como pode ser feito

Venture Debt

Um dos maiores desafios das startups é conseguir estabelecer seu produto no mercado para captar mais recursos e investir no seu crescimento. O venture debt surgiu como uma alternativa

O venture debt funciona do mesmo jeito que o venture capital? Não, são operações diferentes, apesar de injetarem capital em empresas em estágio inicial que apresentam potencial de crescimento. 

O venture capital pode vir em forma de smart money, com participação de executivos na operação. O venture debt é a injeção de capital unicamente. 

É importante entender essa diferença para garantir que os empreendedores partam em busca da captação de recursos mais compatível com o seu momento de mercado. 

O que é venture debt

Venture debt é a captação de recursos por meio de dívida junto a fundos de investimento, principalmente. E essa dívida é paga acrescida de uma taxa de juros que pode ser variável. 

Além disso, a estrutura também pode ter um kicker, que é uma remuneração atrelada à taxa de crescimento da empresa durante o período da dívida. 

Diferentemente do venture capital, que tem diluição societária para os fundadores, no venture debt isso não acontece. O objetivo é emprestar dinheiro para que a startup consiga alavancar seu negócio e gerar retorno em um prazo menor para os investidores. 

No venture capital, com investimento em equity, o retorno do investimento vem no longo prazo, quando ocorrer algum evento de liquidez, como uma nova rodada de captação ou a venda parcial ou total da empresa. Pode acontecer de vir após 10 anos ou mais.

Já no caso do venture debt, o retorno vem em parcelas a serem definidas entre sócios da empresa e os investidores que estão injetando dinheiro, normalmente com prazos muito mais curtos, de poucos anos ou até meses. 

Pensando em diminuir o risco do investimento, é levado em consideração o potencial de crescimento da empresa, da geração de caixa, eficiência operacional, entre outros. 

Quando buscar o venture debt

O venture debt costuma ser indicado para empresas que estão no período entre rodadas de investimento. Isso possibilita esticar o runway, termo utilizado para definir o tempo estimado que o caixa atual da empresa consegue sustentar uma operação ainda deficitária Dessa forma, os sócios continuam alavancando o crescimento do negócio até a próxima rodada. 

Com isso, o valuation pode ser maior e fica mais fácil captar uma rodada com melhores condições e trazer novos sócios para a empresa em um momento mais oportuno. 

Gostou do conteúdo e quer aprender ainda mais sobre o mercado financeiro? Então fique de olho em todos os conteúdos gratuitos e cursos oferecidos pela Solum.ed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.